LINGUAGEM FÁCIL
FENACERCI

Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social

Respeito, Solidariedade, Inclusão
para as Pessoas com Deficiência Intelectual

Programa Especial SIGNIFICATIVO AZUL

Programa Especial SIGNIFICATIVO AZULA FENACERCI conjuntamente com a Polícia de Segurança Pública (PSP), o Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P e a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade como parceiros associados encontra-se a desenvolver o Programa Significativo Azul.

Este Programa foi protocolado entre as 4 entidades acima mencionadas no dia 6 de Setembro de 2013, tendo sido homologado pelo Ministério da Administração Interna e pelo Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

 

Assente na missão da Federação, ao nível da promoção dos direitos das pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência e na missão da PSP, de assegurar a legalidade democrática, garantir a segurança e os direitos dos cidadão, o referido projeto tem por objetivos:

  1. Sensibilizar e formar as organizações da área da deficiência e reabilitação para uma cultura de prevenção de situações de violência e maus tratos contra pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência;

  2. Sensibilizar os elementos da PSP dos dois primeiros níveis de intervenção, para a problemática da deficiência e para a necessidade de uma especial proteção que garanta os seus direitos securitários, promotores da participação das pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência enquanto membros plenos da sociedade;

  3. Promover a cooperação interinstitucional entre as organizações que trabalham na área da deficiência e reabilitação, e a PSP;

  4. Contribuir para a melhoria no atendimento e encaminhamento das pessoas com deficiência por parte dos elementos da PSP;

  5. Dotar os elementos da PSP de ferramentas específicas de comunicação e informação acessíveis à população com deficiência intelectual e/ou multideficiência e/ou multideficiência.

O Programa encerra três fases distintas: formação, implementação, desenvolvimento e monitorização. A fase formativa, que já se encontra finalizada, abrangeu cerca de 330 elementos da PSP, 230 profissionais da área da deficiência e reabilitação e 85 instituições que operam nesta área.

 

A fase de implementação foi assinalada no dia 3 de Dezembro de 2014, no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência. Nesta data foram celebrados, em todos os distritos de Portugal, Protocolos Locais, envolvendo 130 esquadras PSP e 191 organizações da área da deficiência e reabilitação, entre as quais se registaram 33 Cooperativas de Solidariedade Social (CERCI´S, associadas da FENACERCI). A fase de implementação é um contínuo, encontrando-se disponível a todas as organizações que trabalham na área da deficiência e que manifestem interesse em celebrar um protocolo de cooperação. Estes protocolos visam promover uma estreita coordenação entre as forças de segurança, as organizações, as pessoas com deficiência e suas famílias, garantindo respostas adequadas às necessidades identificadas.

 

O Programa Significativo Azul encontra-se na sua fase de desenvolvimento e monitorização, em conformidade com o definido em sede de protocolo. Relativamente ao ano de 2016, verificou-se a realização de 68 ações de sensibilização por parte da PSP junto de organizações da área da deficiência; 209 contactos individuais e 39 ocorrências criminais envolvendo pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência, e doença mental.

 

Para conhecer o protocolo estabelecido entre as duas entidades consulte aqui

Programa Estou Aqui Adultos

Programa Estou Aqui AdultosO Programa Estou Aqui Adultos consiste na atribuição de uma pulseira, pessoal e intransmissível, que possui um número de registo e à qual está associada os contactos telefónicos de emergência do seu usuário. Este Programa é promovido pela PSP e contou na sua fase piloto com a participação de duas associadas da FEANCERCI, a CERCILISBOA e a CRINABEL.

 

Neste momento o programa está disponível a todas as pessoas, nomeadamente, às pessoas com deficiência intelectual e multideficiência, doença mental ou algum tipo de incapacidade. Os contactos telefónicos de emergência encontram-se registados numa base de dados da PSP e serão ativados sempre que o usuário da pulseira seja encontrado numa situação de desorientação ou inconsciência na via pública, permitindo assim o contacto rápido e seguro junto das pessoas/ organização de referência. Para efetuar os pedidos de pulseira deverá consultar: estouaquiadultos.mai.gov.pt  

 

Os interessados podem pedir pulseiras para si próprios (utilizando a opção “Pedido pelo Próprio”) ou para terceiros (“Pedido Instituição/Cuidador”). O Termo de Responsabilidade associado ao pedido de cada pulseira é designado por Declaração de Compromisso, uma vez que o seu objetivo é somente garantir que quem insere os dados confirme a veracidade dos mesmos e tem conhecimento dos Termos e Condições do Programa.

 

Esta declaração passa também a ser impressa na esquadra da PSP, no momento da ativação de pulseiras, em duplicado, devendo uma das vias ficar na posse de quem efetua o levantamento.

 

Para mais informações sobre o programa poderá contactar-nos através do endereço eletrónico fenacerci@fenacerci.pt ou contactar diretamente a PSP para estouaqui@psp.pt

Programa de Apoio a Pessoas com Deficiência - FENACERCI GNR

Programa de Apoio a Pessoas com Deficiência - FENACERCI GNRA FENACERCI é entidade parceria da Guarda Nacional Republicana, no âmbito do “Programa de Apoio a Pessoas com Deficiência” (PAPcD). O PAPcD foi criado em 03 de Dezembro de 2014 e visa a promoção dos direitos e garantias de condições de vida dignas às pessoas com deficiência, procurando envolver, de forma proativa, a comunidade para atender, compreender, respeitar as necessidades e diferenças de cada um, permitindo a igualdade de oportunidades, e para a prevenção de situações de negligência, violência e maus-tratos a estas pessoas. O PAPcD é direcionado para as pessoas com deficiência, para os seus cuidadores e para as pessoas que com elas interagem, pretendendo ser uma plataforma de articulação e de entendimento com os restantes atores sociais responsáveis, ligados à área da deficiência, na promoção da segurança nas comunidades. É um programa que tem um cariz marcadamente preventivo de situações de discriminação, negligência, abuso e maus-tratos, tentando reduzir ou minimizar os fatores de risco e aumentar/potenciar os fatores de proteção nesta população em especial situação de vulnerabilidade.

Conheça o programa em detalhe aqui.

 

A parceria entre a FENACERCI e a GNR tem centrado a sua intervenção na dinamização de ações de formação enquadradas no âmbito da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, sobre especificidades relacionadas com prevenção de situações de violência, comunicação, atendimento e acolhimento de pessoas com deficiência, bem como sobre acessibilidade ao nível da informação. Este programa de policiamento de proximidade é levado a cabo pelos Comandos Territoriais (com especial intervenção das Secções de Programas Especiais) e consubstancia-se na:

  • Sinalização de pessoas com deficiência que por motivos diversos permanecem grande parte do dia sozinhos e/ou isolados nas suas residências sem apoios/cuidados continuados, e que pelas suas dificuldades poderão ser considerados vulneráveis e alvo de ilícitos criminais;

  • Sensibilização deste público-alvo para procedimentos de segurança para evitar eventuais ilícitos criminais, como sejam o furto e roubo;

  • Sensibilização e formação das entidades locais da Guarda para uma cultura de prevenção de situações de negligência, abuso, violência e maus-tratos contra pessoas com deficiência;

  • Promoção de cooperação interinstitucional entre a Guarda e as entidades suas parceiras locais na área da deficiência, reabilitação, mobilidade e promoção da segurança;

  • Contribuição para uma melhoria no atendimento, acolhimento e encaminhamento das pessoas com deficiência pela Guarda;

  • Sensibilização das crianças e jovens, no âmbito das ações de sensibilização desenvolvidas no pelos Núcleos Escola Segura, para as questões da igualdade de oportunidades e não-discriminação das pessoas com deficiência;

  • Sensibilização da população em geral,  no âmbito da prevenção rodoviária, para  o respeito das regras de trânsito que afetam a mobilidade das pessoas com deficiência;

  • Realização de parcerias com entidades com responsabilidades nestas matérias, nomeadamente a Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social.

Para o ano de 2017 a FENACERCI e a GNR definiram como principais objetivos o mapeamento a nível nacional das pessoas com deficiência em situação de isolamento social, tendo para o efeito sido concebida uma ficha de sinalização; bem como, a  ação a promoção da acessibilidade das pessoas com deficiência aos postos e serviços da Guarda Nacional Republicana.

Para conhecer o protocolo estabelecido entre as duas entidades consulte aqui.

Projeto MINCE I Segunda Reunião I Bulgária

Projeto MINCENos dias 15 e 16 de novembro teve lugar a 2ª reunião de parceria do projeto MINCE, em Sófia, na Bulgária. Esta reunião pretendeu aferir o estado de implementação do projeto e dos produtos desenvolvidos pelo mesmo, envolvendo todos os parceiros e promovendo a troca de ideias e experiências que torna mais ricos todos os processos humanos. Foram discutidos de forma aprofundada os conteúdos do Currículo para Mediadores e das linhas de orientação em leitura fácil, bem como a melhor forma de desenvolver o Currículo MINCE para os profissionais da área da deficiência. Foi ainda estabelecida uma data para o Seminário final, que terá lugar em Graz, Áustria, em outubro de 2017. Em fevereiro de 2017 terá lugar o segundo grupo focal do profissionais, que irá testar o currículo para profissionais da área da deficiência.

Pode consultar aqui o folheto de divulgação do projeto.

Projeto Europeu “Ouçam a Nossa Voz!”

Evento de disseminação do projeto Ouçam a Nossa Voz!

No dia 31 de outubro teve lugar no auditório de INR IP a sessão de disseminação do projeto Europeu “Ouçam a Nossa Voz!””. Este projeto, que aborda o tema dos direitos das crianças e em particular das crianças com deficiência intelectual, tem como principais objetivos reforçar e aumentar a participação destes em todas as áreas da vida e contribuir para uma melhor consagração dos seus direitos materializando desta forma o preconizado pela Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Saiba mais aqui.

 

Estiveram presentes 28 profisisonais de 17 organizações, com quem as oradoras Sonja Uhlmann e Marta Albert da Fundación Síndrome de Down de Madrid partilharam os resultados do projeto e alguns recursos, como um sítio internet em que é possível passar palavras a símbolos (sendo estes símbolos gratuitos).

Pode descarregar as 2 brochuras do projeto em português: Participando na minha vida | Participar na Escola

 

 

Projeto TOPSIDE +

Q3

Introdução

Muitos adultos com deficiência intelectual na Europa não podem participar como cidadãos ativos na sociedade em que vivem. Uma vez que a maioria apenas tem acesso limitado à educação e formação formal ou informal para adultos, um dos principais desafios consiste em fornecer-lhes a formação adequada e necessária para tomarem as suas próprias decisões, controlar as suas próprias vidas e desempenhar o seu papel de cidadãos ativos.
O projeto TOPSIDE +, surge na sequência do projeto TOPSIDE, coordenado pela  Inclusion Europe e desenvolvido por um consórcio  de 7 parceiros europeus (Bélgica, República Checa, Finlândia, Países Baixos, Roménia, Escócia e Espanha). Trata-se de um projeto de continuidade, promovido pela Inclusion Europe, no qual a FENACERCI é entidade parceira, conjuntamente com as organizações Adapei(França), Lebenshilfe (Alemanha) e Viltis (Lituânia).
Este projeto é financiado pela ação 2 do Programa Erasmus+,  e tem a duração de 2 anos.

 

Objetivos

O objetivo geral do projeto TOPSIDE consistiu em desenvolver o apoio e a formação de pares como uma nova componente na educação informal para pessoas adultas com deficiência intelectual. Para alcançar este objetivo, o TOPSIDE propôs-se a:

  • desenvolver e testar um programa de formação para pares de apoio adultos que permite que as pessoas com deficiência intelectual formem e forneçam apoio aos seus pares de um modo informal.

  • desenvolver um inventário de competências necessárias para o fornecimento adequado do apoio de pares, incluindo, por exemplo, processos de tomada de decisão, capacidades para lidar com comportamentos desafiantes, entre outros, que servirão de base para o programa de formação.

A "função" do Par de Apoio não confere apenas novas oportunidades de formação para pessoas com deficiência intelectual para reforçar as suas competências básicas, promove também novas oportunidades de emprego ou voluntariado para pessoas com deficiência intelectual com o objetivo de reforçar a sua cidadania ativa através do reconhecimento das suas competências.

 

Recursos

Estão disponíveis quatro recursos formativos:

  • Orientações Metodológicas TOPSIDE para Formadores que orientam ao longo do processo de planeamento e preparação do programa de formação.

  • Currículo TOPSIDE constituído por uma base de dados de exercícios para formação de pessoas com deficiência intelectual.

  • O Material TOPSIDE para Pares que contém exemplos de portefólios e materiais que os pares de apoio terão em consideração para mostrar as suas competências e recordar o que aprenderam.

  • Orientações TOPSIDE para Mentores que proporcionam aconselhamento e orientação nas atividades de mentoria com os pares de apoio.

Enquanto parceira do projeto TOPSIDE+, cabe à FENACERCI a adaptação dos materiais produzidos  para português, a divulgação dos mesmos, bem como a realização de uma formação em pares de apoio, de âmbito nacional, dirigida a pessoas com deficiência intelectual.

 

Para mais informações poderá aceder ao website do projeto: http://www.inclusion-europe.com/topside/ 
Consulte os critérios de seleção e e envie-nos a sua ficha de inscrição até ao dia 6 de Abril de 2015, para fenacerci@fenacerci.pt

 

Para Fazer o Download da Ficha de Inscrição clique aqui.

Para visualizar as fotografias da primeira sessão formativa que ocorreu no passado dia 27 de Maio de 2015, em Lisboa, nas instalações da FENACERCI, clique aqui.

TOPSIDE

Projeto TOPSIDE+

No âmbito do Projeto TOPSIDE +, Oportunidade de Formação para Pares de Apoio com Deficiência na Europa, decorreu entre 14 e 18 de Setembro de 2015, na Foz do Arelho, uma semana formativa sobre Apoio por Pares. Com esta ação foram ministradas 40 horas de formação a 10 participantes de associadas da Fenacerci, a saber: Bernardino Soares e o João Pereira (CERCICA); Edna Pereira (CECD); José Faria (CERCIBRAGA); Sandra Trindade e Sandra Silva (CEERDL); Jorge Oliveira (CERCIESPINHO), Carla Rodrigues (CERCIAG), Albino Silva e André Mota (CERCILISBOA).

Durante esta semana os formandos realizaram várias atividades, quer de carácter teórico, quer prático, que visaram prepará-los para a função de par de apoio. Esta formação de pares de apoio permitirá que as pessoas com deficiência intelectual prestem apoio aos seus pares de modo informal, através da partilha de experiências de vida, da sua valorização pessoal e do reforço de competências de comunicação, identificação e resolução de problemas, cidadania e tomada de decisão.

Acrescendo aos conteúdos desenvolvidos durante esta semana, enquadrados diretamente nos objetivos TOPSIDE +, salienta-se a importância desta semana na promoção da autonomia e responsabilidade de cada participante (dado que os formandos, deliberadamente, não foram acompanhados por pessoas de apoio), a vivência de novas experiências, o estabelecer de novas relações de amizade e o compromisso de futuro de apoiarem outras pessoas com deficiência.

No final da sessão foi dado um certificado de participação a cada formando.

Visualizar as Fotografias da Semana Formativa sobre Apoio por Pares - 14 e 18 de Setembro de 2015

Entre os dias 27 e 29 de Outubro de 2015 decorreu a 3ª reunião de parceria do projeto TOPSIDE +.

TOPSIDE+A referida reunião teve lugar em Estrasburgo e contou com a participação de todas as entidades parcerias (Inclusion Europe, Lebenshilfe, Adapei e Viltis), tendo a Fenacerci sido representada pela equipa afeta ao projeto e pelo André Mota, cliente da associada CERCILISBOA.

A reunião foi organizada em formato acessível, por forma a garantir a participação e intervenção das várias pessoas com deficiência intelectual presentes. Na atual fase do projeto todos os parceiros já implementaram a nível nacional o Curriculum Topside +, pelo que se procurou nesta reunião fazer um balanço do trabalho desenvolvido (nomeadamente as atividades formativas promovidas pela FENACERCI em Maio e Setembro do presente ano, que contaram com a participação de 10 formandos com deficiência intelectual das associadas da Federação); trabalhar em parceria conceitos chave do projeto; apresentar novos exercícios criados por cada parceiro e que integrarão o Curriculum, bem como, definir as próximas atividades a desenvolver, quer a nível nacional, quer europeu. No que respeita ao trabalho de desconstrução de conceitos, a equipa da Fenacerci ficou responsável por trabalhar o conceito de inclusão. Para tal, contámos com uma apresentação feita pelo André Mota, a qual foi preparada conjuntamente com a associada CERCILISBOA.

Esta reunião proporcionou, igualmente, tempo de trabalho conjunto aos responsáveis pela gestão do projeto de cada entidade parceria, bem como aos formadores, facilitando desta forma a troca de experiências, reflexão, partilha de materiais e metodologias de trabalho.

Para ver algumas Fotografias da reunião clique aqui

Projeto TOPSIDE+ I Peniche - 20 e 24 de junho 2016

No âmbito do Projeto TOPSIDE +, Oportunidade de Formação para Pares de Apoio com Deficiência na Europa, decorreu entre 20 e 24 de junho, em Peniche e com o apoio da associada CERCIPENICHE, a segunda semana formativa sobre Pares de Apoio. Nesta ação foram ministradas 40 horas de formação a 8 participantes de associadas da Fenacerci, a saber: Igor Neto e Bernardina Codinha (CERCIPENICHE); Raquel Lourenço (CECD); João Grilo e Lucas Lopes (CERCICA); Ana Isabel Pereira (CERCILISBOA); Inês Resende e Vítor Ferreira (CERCINA). Esta ação foi ministrada pelas técnicas afetas ao projeto, contanto com a participação do Albino Silva (CERCLISBOA) na qualidade de co-formador.

Durante esta semana os formandos realizaram várias atividades, quer de carácter teórico, quer prático, que visaram prepará-los para o papel de par de apoio. Esta formação permitirá que as pessoas com deficiência intelectual prestem apoio aos seus pares de modo informal, através da partilha de experiências de vida, da sua valorização pessoal e do reforço de competências de comunicação, identificação e resolução de problemas, cidadania e tomada de decisão. Acrescendo aos conteúdos desenvolvidos durante esta semana, enquadrados diretamente nos objetivos TOPSIDE +, salienta-se a importância desta semana na promoção da autonomia, confiança e responsabilidade de cada participante (dado que os formandos, deliberadamente, não foram acompanhados por pessoas de apoio), a vivência de novas experiências, o estabelecer de novas relações de amizade e o compromisso de futuro de apoiarem outras pessoas com deficiência. No final da sessão foi atribuído um certificado de participação a cada formando.

 

Da avaliação feita pelos formandos registam-se algumas observações:

"Aprendi o que é um bom e um mau apoio" (Lucas Lopes)

"Aprendi os 4 passos do par de apoio" (Inês Resende)

"Aprendi a resolver problemas" (João Grilo)

"Esta formação reforçou a minha confiança. Sinto-me muito mais segura" (Bernardina Codinha)

"Aprendi que nos podemos ajudar uns aos outros" (Vítor Ferreira)

"Aprendi os 4 passos do par de apoio. Quando penso nesta formação sinto felicidade e coragem" (Raquel Lourenço)

"Gostei muito de saber mais sobre o TOPSIDE +" (Ana Isabel Pereira)

"Aprendi os 4 passos para ser par de apoio e o que é um curriculum" (Igor Neto)

"O que mais gostei nesta formação foi de fazer de dinamizador e de explicar os exercícios" (Albino Silva)

Projeto TOPSIDE +, Oportunidades de Formação para Pares de Apoio com Deficiência Intelectual na Europa

No dia 20 de outubro de 2016 teve lugar o Seminário do Projeto TOPSIDE +, Oportunidades de Formação para Pares de Apoio com Deficiência Intelectual na Europa, que decorreu no espaço Atmosfera M, do Montepio Geral em Lisboa.

Estiveram presentes cerca de 50 pessoas, nomeadamente pessoas com deficiência intelectual e profissionais, mas também representantes das forças políticas, do grupo de trabalho da Educação Especial e da academia, bem como da Direção da FENACERCI.

O evento contou ainda com a presença da Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência e do Presidente do INR I.P.

Foi com agrado que ouvimos a sra. Secretária de Estado expressar a opinião de que os modelos de apoio para a vida independente poderiam referir e incluir este apoio por pares (pessoas com deficiência), assim como a expressão generalizada de todos os participantes no painel de discussão de que o apoio por pares, sendo natural, deve ser tido em conta quando se pensam modelos de apoio à inclusão na comunidade e à participação cidadã.

Ouvimos ainda, na primeira pessoa, falar sobre o impacto que tem nas pessoas com deficiência intelectual a possibilidade de verem reconhecidas e validadas as suas experiências de vida, enquanto ferramentas de auxílio à tomada de decisão dos seus pares.

O projeto terá a sua Conferência de encerramento no dia 8 de novembro, no Parlamento Europeu em Bruxelas, onde serão divulgadas linhas de orientação para políticas - a nível nacional e Europeu – que promovam e reconheçam o apoio por pares enquanto ferramenta de inclusão e apoio à tomada de decisão.

Mais informações: FENACERCI Tel. 21 7112580

Nota de Imprensa  

Projeto Q3 "Qualificar o 3º Setor"

Q3

O Projeto Q3 “Qualificar o 3º Setor” foi promovido por uma parceria que integra 7 organizações (FENACERCI, AEP, CPCCRD, IEBA, IN LOCO, MINHA TERRA e UTAD) e que assentam o seu trabalho em torno da qualificação de organizações do 3º Setor. A metodologia Q3 foi especificamente desenhada com o objetivo de promover a melhoria organizacional e dos recursos humanos, ao nível da gestão e do funcionamento interno, através de processos que motivam para a mudança, a inovação, a criatividade e a aprendizagem continua.

O 3º Setor ou Economia Social tem uma importância económica e social fundamental na sociedade portuguesa: promove o desenvolvimento local e a coesão social, presta serviços de proximidade e cria emprego. Representa 4.2% do PIB; envolve cerca de 250 000 trabalhadores, dos quais 70% são remunerados e 30% são voluntários. Mas este é também um setor que continua a apresentar debilidades, em termos de gestão financeira e de pessoas, liderança, estratégia, comunicação, qualidade dos serviços prestados e recursos físicos.

A missão da parceria Q3 - Qualificar o 3º Setor visa, precisamente, colmatar estas debilidades. Para tal, desde 2001, as 7 organizações desta parceria desenvolvem projetos que permitiram inicialmente (entre 2001 e 2008) a experimentação, estruturação, validação de um Modelo de Qualificação para organizações da Economia Social e, a partir de 2008, a aplicação extensiva deste Modelo, com o qual já foram qualificadas 209 organizações, em Portugal continental e na Madeira.

Entre Junho de 2013 e Outubro de 2014, a Fenacerci, enquanto entidade beneficiária do Programa Operacional Potencial Humano, financiado pelo Fundo Social Europeu, na tipologia 3.1.2. Formação-Ação para Entidades da Economia Social promoveu e desenvolveu a 3ª edição do Projeto Q3. Esta 3ª edição decorreu em quadro zonas de abrangência, a especificar: Norte, Centro, Alentejo e Algarve, tendo abrangido um total de 35 organização da economia social; ministrado 9615.5 horas de formação; realizado 6649.5 horas de consultoria e envolvido um total de 10791 formandos/as.

 

Para consultar os dados de execução física alcançados em cada região onde o Projeto Q3 – 3ª edição foi implementado:
clique aqui

 

Reconhecimento do Projeto Q3 como uma boa prática de trabalho em parceria, por parte do European Economic and Social Committe. Para mais informações clique aqui e consulte (pág. 35-36)

Projeto Cherish Your Skills

Cherish Your Skills  (CYS) é um projecto europeu, financiamento pelo Programa Sectorial Grundtvig do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida, que teve dois anos de duração e envolveu os seguintes parceiros:

- FENACERCI – Portugal;

- Keskuspuiston amattiopisto - Finlândia;

- Ammattiopisto Louvi – Finlândia;

- Stichting voedseltuin Rotterdam – Holanda;

- Ljudska Univerza Zavod Kulturo in izobrazevanje – Eslovénia.

 

A nível nacional, a FENACERCI contou com a colaboração das associadas CERCINA e CERCIPENICHE para a execução do presente projecto. Contando, assim, com o know-how específico destas organizações de terreno com intervenção na área da formação profissional e com experiência desenvolvida através do sistema de reconhecimento, validação e certificação de competências (Centros de Novas Oportunidades).

 

Introdução sobre o projeto:

A oferta de oportunidades de educação e formação de carácter inovador dirigidas a grupos vulneráveis têm um papel muito importante ao nível da redução das assimetrias sociais e da capacitação destes públicos. A Agenda para Novas Competências e Empregos: Um contributo Europeu para o pleno Emprego(2010) recomenda a adopção de estratégias orientadas para os públicos mais vulneráveis, particularmente os desempregados, pessoas com baixas qualificações, com deficiência, com problemas de saúde mental, jovens e idosos, bem como as minorias étnicas. A Estratégia Europa 2020 enfatiza a premissa de que a transição para contextos de aprendizagem em sistemas de qualificação com base em resultados e que apostem, simultaneamente, na validação das aptidões e competências adquiridas em contextos não formais e informais são também de grande importância para o reforço da empregabilidade. As pessoas que se encontram em situação de desempregado ou que não possuem trabalho, especialmente aqueles com necessidades especiais, deficiência e/ou incapacidade, muitas vezes não vêem as suas experiências e aprendizagens reconhecidas, tanto a nível escolar, como profissional. O projeto Cherish Your Skills visou contribuir para a minimização desta problemática, através da construção de um conjunto de materiais que visam reconhecer, validar e certificar as competências chave de pessoas com deficiência intelectual e/ou necessidades educativas especiais adquiridas ao longo da vida, quer através de contextos formais, quer não-formais, bem como através das suas experiências de vida. Estes materiais consubstanciam-se em: a) Passaporte de Competências; b)Módulo de formação sobre interação e comunicação; c) Módulo de formação sobre trabalho em grupo e cooperação e d) Construção de materiais dirigidos a formadores sobre reconhecimento e validação de competências formais e não-formais.

 

Produtos

No âmbito deste projeto foram desenvolvidos dois produtos:

  1. Passaporte de Competências: que constitui uma ferramenta desenvolvida com o objetivo de facilitar o processo de reconhecimento, validação e certificação de competências adquiridas em contexto escolar, no trabalho e ao longo da vida. Esta ferramenta foi desenha tendo por base um conjunto de competências chave (Linguagem e Comunicação; Matemática para a vida; Cidadania e Empregabilidade; Tecnologias de Informação e Comunicação) e de competências sociais. Este Passaporte encontra-se disponível em inglês e poderá ser acedido através do seguinte link: skills.gekopwerk.nl

  2. Brochura CYS: que congrega todos os produtos desenvolvidos pela parceria ao longo do projeto. Nesta brochura poderá ser consultado o Passaporte de Competências (versão em inglês), bem como os módulos de formação que apoiam/sustentam este mesmo passaporte, em específico:
    a)  Módulo de Formação-Interação e Comunicação;
    b) Módulo de Formação-Trabalho em Grupo e Cooperação;
    c)  Módulo de Formação para formadores com materiais de reconhecimento e validação de competências formais e não-formais.
    Consulte esta brochura aqui.

Projeto Diagnóstico Duplo: Caracterização, Diagnóstico e Tendências

A FENACERCI, no âmbito do Programa Operacional Potencial Humano (POPH), enquadrado no eixo 9, em Tipologia de Intervenção 6.15 – Educação para a Cidadania – Projetos Inovadores, desenvolveu o projeto denominado “Diagnóstico Duplo: Caracterização, Diagnóstico e Tendências”.  Este projeto de âmbito nacional tem como principais objetivos:

  1. Conhecer e apresentar uma análise da literatura existente acerca do contexto, prevalência e cuidados/serviços para as pessoas com Diagnóstico Duplo (DD) e comportamentos que colocam desafios e descrição da realidade a nível nacional e em outros países europeus, com foco nos seguintes aspetos:

    • As boas práticas e necessidades;

    • O sistema atual de serviços para as pessoas com Deficiência Intelectual (DI), DD e comportamentos que colocam desafios e a sua utilização por esta população;

    • A ocorrência da Doença Mental (DM) e comportamentos que colocam desafios na população com DI e descrição deste público-alvo.

  2. Realizar estudo de âmbito nacional dirigido a profissionais de instituições cujo público-alvo são pessoas com DD, através da aplicação de metodologias quantitativas e qualitativas de recolha e análise de dados, e apresentar os seus resultados privilegiando:

    • A prevalência e necessidade de atendimento em saúde das pessoas com DI e DD;

    • A identificação de recomendações e propostas para a criação de um modelo de recursos e serviços a ser disponibilizados entre os serviços sociais, de saúde mental e das organizações para o atendimento das pessoas com DI e problemas de saúde mental ou comportamentos que colocam desafios.

 Metodologia adotada  

  1. Vertente quantitativa – construção de um questionário online remetido para todas as organizações sem fins lucrativos privadas de intervenção direta na área da deficiência intelectual em território nacional, num total de 112 organizações, que incluía questões diferenciadas em função dos grupos profissionais (dirigentes, técnicos e auxiliares);

  2. Vertente qualitativa – realização de 4 focus group descentralizados junto das organizações respondentes por forma a clarificar aspetos dúbios surgidos pelo preenchimento do questionário e 3 reuniões com o painel de peritos constituído no âmbito do projeto na qualidade de consultores.

 Principais resultados

  • Vertente Quantitativa:

  • 193 respondentes - profissionais distribuídos por 51 organizações

  • 80.9% género feminino

  • Média de idades: 40 anos

  • 69.3% em situação contratual de efectivo

  • 57.9% há mais de 10 anos na instituição

  • 63.9% com licenciatura

  • Acompanham em média 63 clientes, 35 do género masculino e 28 do género feminino

  • 57.7% acompanham pelo menos um cliente com diagnóstico duplo

  • Desses, cerca de 28% foram diagnosticados por médico psiquiatra

  • Cerca de 53% dos técnicos considera ter clientes com diagnóstico duplo e sem diagnóstico médico

  • Vertente Qualitativa:

  • Melhorias ao nível dos serviços de saúde externos/equipas multidisciplinares e adequação de respostas dos serviços às necessidades do cliente;

  • Aumento de conhecimentos na área da saúde mental, foco na formação mais especializada para todos os intervenientes, proporcionando partilha de boas práticas e supervisão;

  • Maior envolvimento das famílias, contemplando a formação;

  • Melhorar a qualidade de atendimento, através do aumento do tempo e disponibilidade para com o cliente, procurando uma abordagem centrada no mesmo e escuta activa;

  • Facilitar o acesso à informação clínica e ao diagnóstico, oferencendo uma maior autonomia aos técnicos, possibilitando a melhoria das suas capacidades profissionais e condições de atendimento.

 

No passado dia 25 de Fevereiro decorreu, no Centro Cultural da Junta de Freguesia de Carnide, a cerimónia de apresentação dos resultados do Projeto Nacional Diagnóstico Duplo: Caracterização, Diagnóstico e Tendências.

O projeto, promovido pela FENACERCI, teve como principais objetivos aprofundar conhecimentos na área do Diagnóstico Duplo, apresentar os principais achados sobre a intervenção realizada pelas organizações de terreno assim como formular propostas/ recomendações para a articulação entre serviços públicos e privados tendo em vista a melhoria das condições de vida das pessoas com deficiência intelectual e doença mental.

Contou com a participação de cerca de 45 dirigentes e profissionais oriundos de organizações que prestam serviços na área da deficiência e reabilitação.

Marcaram, igualmente, presença Dra. Sónia Esperto do Gabinete do Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social, Dr. Domingos Lopes Presidente da Comissão Diretiva do Programa Operacional Potencial Humano, Dr. José Madeira Serôdio Presidente do Instituo Nacional para a Reabilitação e a Dra. Elizabete Pinto da Direcção Geral da Saúde.

Estão aqui disponíveis os principais produtos do projeto (relatório final e infografia).  

 

Produtos

 

Para aceder ao Relatório Final com os resultados do projeto clique aqui

Para aceder à infografia, versão portuguesa, onde constam os principias resultados do projeto clique aqui

Para aceder à infografia, versão inglesa, onde constam os principias resultados do projeto clique aqui

 

Projeto Qualificar para a Inclusão

Quem somos?

O QI é um projeto experimental financiado pelo POPH, lançado no início de 2013 e com a duração previsional de 2 anos, cuja ação é desenvolvida em seis polos distribuídos pelo território nacional, dinamizados pelas seguintes organizações: Cercina, Cercip, Cerciespinho, Cerclisboa, Cercifaf e Cercibeja. Conta com uma rede de suporte e/ou acompanhamento que integra a Secretaria de Estado da Solidariedade e Segurança Social, o Instituto de Emprego e Formação Profissional, a Agencia Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional e a Fenacerci.

 

Qual é o principal objetivo do projeto?

Testar metodologias e conteúdos formativos que, não tendo como meta principal e/ou única a empregabilidade, fazem da capacitação individual e social dos jovens abrangidos uma mais-valia, tendo em vista o seu encaminhamento para a solução sequencial que melhor se adeque às suas expectativas, competências e oportunidades.

 

O que é que determinou a necessidade e oportunidade deste tipo de intervenção?

Considera-se que os modelos formativos disponíveis, fundados em referenciais adaptados, estão direcionados para a empregabilidade e têm implícito um perfil de candidatos à formação que deixa de fora uma franja considerável de jovens com deficiência, designadamente aqueles que se encontram em final de escolaridade ou fora do contexto escolar, sem perfil para a Formação Profissional e sem respostas, de apoio ocupacional ou outra, subsequentes à escola. Tem-se igualmente como referência de ação que os mecanismos de transição para a vida adulta desenvolvidos na escola, são insuficientes e/ou desajustados, nomeadamente para alunos com dificuldades de aprendizagem e limitações de autonomia mais graves, que, à saída do último ciclo escolar, ficam muitas vezes sem qualquer tipo de resposta.

 

Quem e quantos somos?

O projeto envolve um conjunto de 40 jovens e adultos, em que a maioria é do sexo feminino, com uma média de idade de 23 anos. No que respeita ao grau de escolaridade, 42%  tem o 3º ciclo de ensino e 38% foram reencaminhados de outras respostas da própria organização.

 

O que é que estamos a trabalhar?

  • Construção de um percurso formativo individualizado, utilizando e adaptando/construindo referenciais de formação adaptados, adequando-os à população alvo do projeto que vise o desenvolvimento de competências pessoais, sociais e vocacionais apropriados às necessidades, potenciais e expetativas dos jovens abrangidos que potenciem os seus níveis de participação e autonomia.

  • Utilização de portefólio de competências como instrumento de construção e aferição do percurso formativo.

  • Experimentação de diferentes metodologias e soluções de encaminhamento, tendo em conta a diversidade dos formandos envolvidos.

  • Promoção de estratégias de reforço da participação individual, designadamente através da realização de encontros de formandos

  • Consolidação metodológica e prática do projeto, por via de reuniões técnicas das entidades promotoras e do envolvimento da rede de acompanhamento.

E o que é dizem os intervenientes?

  • Organizações:

    • O trabalho desenvolvido em conjunto, a partilha e discussão das várias experiências tem contribuído de forma significativa para a reflexão sobre a prática diária, superação de constrangimentos, bem como para o reforço da metodologia aplicada;

  • População Alvo:

    • Referem o sucesso das suas aprendizagens, desenvolvimento de autonomia e responsabilidade, bem como da capacidade de relacionamento interpessoal;

  • Familiares:

    • Evolução positiva na área da autonomia e sentido de responsabilidade, sucesso na execução de novas tarefas e aumento da motivação/valorização pessoal

Informação sobre a peça da antena 1

«Direito ao Futuro» é uma reportagem de Célia de Sousa, Antena 1, que espelha o trabalho desenvolvido por seis Cercis durante os dois últimos anos junto de jovens com deficiência intelectual no sentido da sua capacitação individual.

 http://www.rtp.pt/play/p309/e171899/reportagem-antena-1

Projeto Rede de Trabalho Europeia: Novos Caminhos para a Inclusão

“Mudar por meio de serviços inclusivos e centrados na pessoa destinados a pessoas com deficiência”

 

A Rede de Trabalho Europeia: Novos Caminhos para a Inclusão é um projeto europeu que reúne 19 organizações, prestadoras de serviços, universidades e centros de investigação de 13 países europeus e Canadá. O grande objetivo é promover o desenvolvimento de serviços inclusivos e centrados na pessoa destinados a pessoas com deficiência, capacitando-as para serem agentes decisivos/decisores no seu projeto de vida em parceria com a comunidade envolvente.

 

OBJETIVOS

A Rede de Trabalho procura novas respostas para as seguintes questões:

“Como nos podemos assegurar que os serviços de apoio respondem às necessidades individuais das pessoas com deficiência e as capacita para serem parte integrante e ativa na comunidade? Que tipo de formação e aprendizagem são necessárias para que tal possa ser uma realidade?”

Identificámos três aspetos chave para a inclusão que são instrumentos para alcançar a mudança e a plena inclusão das pessoas com deficiência na sociedade:

Aspeto Chave 1: Desenvolver organizações centradas nas pessoas;

Aspeto Chave 2: Fomentar o desenvolvimento e a inclusão da comunidade;

Aspeto Chave 3: Proporcionar formação inclusiva e de aprendizagem para todos.

Desta forma, trabalhamos para dotar organizações, prestadores de serviços e pessoas com deficiência com conhecimentos, valores e competências necessários para garantir a participação ativa dos cidadãos com deficiência nas áreas da educação, trabalho, vivência e relacionamento com a comunidade.

 

PLANEAMENTO CENTRADO NA PESSOA

O projeto baseia-se no conceito inovador do Planeamento Centrado na Pessoa, que reflete um conjunto de valores e processos metodológicos desenvolvidos para capacitar as pessoas com deficiência a viverem de forma participativa e ativa na

comunidade envolvente. O planeamento centrado na pessoa e a sua prática já deram provas de ser um meio eficaz de mudança positiva a nível pessoal, organizacional e comunitário.

 

METODOLOGIA

Para se alcançar a mudança indo ao encontro de uma verdadeira comunidade de suporte, a Rede orienta-se tendo por base um modelo inovador de mudança social – Teoria do U – desenvolvida por Otto Scharmer (www.presencing.com). Esta teoria baseia-se numa compreensão da inovação social que apela à rutura por parte das pessoas ao nível das suas assunções e padrões de comportamento comuns.

 

TEORIA DO U

Começa com a procura de novas maneiras de compreender (Sentir),

Continua com a descoberta de outras formas de construção do melhor futuro possível (Presenciar), e

Segue com o desenvolvimento de um processo de atuação diferenciado por meio da aprendizagem, descobrindo assim novos caminhos para a consolidação desse futuro (Realizar).

 

RESULTADOS

  • Organização de cursos de formação inclusivos sobre Planeamento Centrado na Pessoa na Croácia, Portugal, Roménia, Eslováquia e Espanha.

  • Realização de Jornadas de Aprendizagem – demonstração de exemplos inovadores de inclusão na comunidade.

  • Apoio às organizações na construção de modelos de intervenção organizacional centrados na pessoa.

  • Desenvolvimento de Cursos de Multiplicação a nível Europeu – formação inclusiva que aborda os três aspetos chave para a inclusão.

  • Publicação de um Livro de Boas Práticas sobre Cursos de Formação Inclusivos e de Aprendizagem.

  • Desenvolvimento de um Centro de Conhecimento Online, em todas as línguas do projeto, que reúne conhecimentos, boas práticas e informação atualizada sobre serviços inclusivos e centrados nas pessoas.

  • Criação de Redes de Trabalho Nacionais, em todos os países participantes, e manutenção de canais de comunicação e cooperação a nível europeu. 

PARCEIROS

Queraum (AT), Inclusion Europe (BE), University Hannover (DE), Nexus Support (UK), Fachschule Lensahn (DE), Innovia (AT), Quip (CZ), APEMH (LU), Social Work Advisory Board (SK), Arbeitskreis Eltern Behinderter (IT), Association for Promoting Inclusion (Croatia), FEAPS (Spain), PentruVoi (RO), Fenacerci (PT), Hochschule für Heilpädagogik Zürich (CH), Verein Balance (AT), Leben mit Behinderung Hamburg (DE), Lebenshilfe Austria (AT) & Marsha Forrest Centre (Canada).

O projeto conta igualmente com a participação de mais de 70 parceiros associados de 14 países europeus.

 

INFORMAÇÃO

Financiamento: Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida - Leonardo da Vinci: Redes Temáticas.

Duração do Projeto: Janeiro 2013 – Dezembro 2015.

 

ENVOLVA-SE! Para participar através do sítio da internet do projeto clique aqui www.personcentredplanning.eu.

 

Siga-nos no Facebook: www.facebook.com/PersonCentredPlanning

Projetos financiados pela FENACERCI

PAPIE – Programa de Apoio a Projetos de Iniciativa Empreendedora desenvolvido pela FENACERCI afim de apoiar alguns projetos de iniciativa empreendedora a ser implementados pelas organizações suas Associadas.

Projeto Banhos e Cãopanhia | Projeto Ondas de Felicidade

Projeto Banhos e Cãopanhia

Projeto inovador promovido pela CERCIOEIRAS, que visa a capacitação e inclusão de Pessoas com deficiência intelectual e multideficiência cuja população alvo são 10 clientes do Centro de Atividades Ocupacionais – área de intervenção relacionada com a aprendizagem/responsabilização de tarefas, cuidados com o animal, socialização e afeto, sendo o público-alvo do serviço, os donos dos animais que queiram e tenham interesse em recorrer ao mesmo. Este Projeto visa assim, a criação de um serviço autosustentável, de qualidade que para além de proporcionar um serviço personalizado, promove a aprendizagem de novas funções técnicas, o sentido de responsabilidade profissional e a melhoria das competências pessoais e sociais dos clientes envolvidos.

 

Banhos e Cãopanhia é um serviço completo de banhos e cuidados caninos, onde cada animal é tratado com muito amor e carinho. Mais um serviço de excelência que garante o uso de equipamentos e produtos veterinários e de higiene adequados a cada tipo de pelo.

 

Para mais informações e reservas envie um e-mail para banhosecaopanhia@cercioeiras.pt ou ligue para 214 239 680

Projeto co-finaciado pelo The Voice e pela FENACERCI

Projeto Ondas de Felicidade

Projeto promovido pela CERCISIAGO que visa assegurar aos 60 clientes que integram o Centro de Atividades Ocupacional com mobilidade reduzida, por via da aquisição de um Tiralô, atividades lúdicas e terapêuticas em segurança garantindo a participação destas mesmas pessoas em atividades inclusivas.

 

Visualize aqui algumas fotos do equipamento/atividades promovidas:

 

 

Projeto co-finaciado pelo The Voice e pela FENACERCI

Projeto LID – Liderança, Inovação e Desenvolvimento

A Fenacerci encontra-se a desenvolver um projeto nacional denominado Projeto LID – Liderança, Inovação e Desenvolvimento financiado pelo Instituto Nacional para a Reabilitação, INR, I.P. O Projeto LID tem como grande objetivo habilitar os quadros dirigentes das Cooperativas de Solidariedade Social de ferramentas e metodologias que permitam melhorar o desempenho organizacional por forma a se diferenciarem das demais num mercado cada vez mais concorrencial. Encerra em si duas atividades chave a saber: a) construção do Guia do Empreendedor em que o principal objetivo é consolidação de um documento que congregue em primeira análise uma reflexão profunda sobre a intervenção levada a cabo pelas organizações prestadoras de serviços a pessoas com deficiência intelectual e suas famílias, assim como os desafios com que estas entidades se podem confrontar devido às mudanças conjunturais em desenvolvimento assim como da descrição das principais características adstritas a um dirigente empreendedor e proactivo. O presente guia será construído tendo em vista sua a disseminação alargada no universo de cooperativas de solidariedade social representadas pelas Federação e irá materializar-se numa versão digital e conta com a participação ativa das associadas Cercimor, Cercibraga, Cercimarante e Cercimac; b) Encontro Nacional de Dirigentes que pretende, desta forma, constituir-se como um espaço de reflexão alargada que por um lado possa trazer para a discussão mais diversidade e conhecimento sobre os temas em análise e por outro a subscrição conjunta de metodologias de trabalho e resultados a alcançar. Dentro em breve estará disponível o Guia do Empreendedor para consulta livre.

CERCIMAC

A FENACERCI no passado mês de maio realizou mais uma ação chave no âmbito do Projeto LID – Liderança, Inovação e Desenvolvimento financiado pelo Instituto Nacional para a Reabilitação, INR, I.P. O Projeto LID tem como grande objetivo habilitar os quadros dirigentes das Cooperativas de Solidariedade Social de ferramentas e metodologias que permitam melhorar o desempenho organizacional por forma a se diferenciarem das demais num mercado cada vez mais concorrencial. Sendo assim, e com a participação ativa das associadas Cercimor, Cercibraga, Cercimarante e Cercimac (esta última também na qualidade de entidade anfitriã) deu-se continuidade aos trabalhos de construção do Guia do Dirigente. Este guia integrará uma reflexão profunda sobre a intervenção das organizações prestadoras de serviços a pessoas com deficiência intelectual e suas famílias, assim como, sobre os desafios com que estas entidades se confrontam devido às mudanças conjunturais em desenvolvimento. Durante esta reunião deu-se especial ênfase à definição e descrição das principais características adstritas a um dirigente empreendedor e proativo nomeadamente na área dos conhecimentos, atitudes e disponibilidades. A próxima reunião de trabalho encontra-se agendada para o mês de junho e no decorrer desta será abordado o tema da gestão de necessidades e de oportunidades. Fique atento ao desenvolvimento desta próxima atividade!

 

Projecto PAR – Promover a autorrepresentação

A FENACERCI encontra-se a desenvolver um projeto com o apoio do INR IP que tem como objetivo principal a promoção da autorrepresentação e a constituição duma Plataforma Nacional de Autorrepresentantes.

Uma das atividades do projeto consiste na passagem de informação para os autorrepresentantes sobre a Convenção das Naçõres Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, nomeadamente os seus artigos 12 e 29 e o seu impacto na vida das pessoas com deficiência intelectual, e ainda consciencializar para as vantagens da existência duma Plataforma Nacional de Autorrepresentantes, que poderá vir a ser membro da Plataforma Europeia de Autorrepresentantes, com sede em Bruxelas.

Um dos resultados do projeto será a constituição desta mesma Plataforma.

Neste sentido, irão ter lugar 4 ações em território nacional, uma em Lisboa, uma no Centro, uma no Norte e uma no Alentejo, entre outubro e novembro do corrente ano. O projeto decorre desde junho e terminará em dezembro, tendo sido já implementadas as ações de formação para dinamizadores, que tiveram lugar em Lisboa nos dias 22 e 23 de setembro. Estes jovens irão dinamizar as sessões para os grupos de autorrepresentantes a nível nacional.

O projeto PAR- Promovendo a Autorrepresentação, está a chegar ao fim.
Ao longo de 6 meses foram formados 10 autorrepresentantes que implementaram 4 ações de (in)formação descentralizadas – Lisboa, Beja, Pombal e Braga, para cerca de 100 jovens e adultos com deficiência intelectual. Estas ações, onde foram discutidos alguns artigos da Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência e a sua implementação a nível nacional, serviram ainda para recolher interessados em fazer parte da Plataforma Nacional de Autorrepresentantes e para dar início a um movimento organizado de autorrepresentantes. No dia 21 de dezembro terá lugar o evento final do projeto, onde será formalizada a constituição da Plataforma, que conta já com 15 organizações de todo o país. Este evento contará com a participação de cerca de 120 autorrepresentantes e 30 profissionais e será no Auditório do Alto dos Moinhos, em Lisboa.

projeto PARChegou ao fim o projeto PAR – Promover a Autorrepresentação.

Este projeto, que decorreu entre junho e dezembro de 2015, teve 2 partes:
Uma de capacitação de jovens autorrepresentantes através de ações de formação e outra de disseminação do projeto e constituição da Plataforma Nacional de Autorrepresentantes. Dentro das ações de formação também existiram 2 modelos diferentes.
Num primeiro momento foram formados 10 autorrepresentantes em 2 áreas distintas: falar em público e a Convenção das Nações Unidas, nomeadamente os seus artigos 12 e 29.
Estes 10 autorrepresentantes ficaram habilitados para dinamizar as ações de formação/informação seguintes. Num segundo momento foram implementadas 4 ações descentralizadas, em que os autorrepresentantes formados nas ações anteriores foram apresentar aos seus pares a Convenção, debater direitos e deveres e ainda lançar as bases para a constituição da Plataforma Nacional de autorrepresentantes. Estas ações foram frequentadas por 74 pessoas, sendo 23 pessoas de apoio.
O Seminário de encerramento do projeto contou com 125 participantes, dos quais 90 eram autorrepresentantes. Estiveram presentes 16 organizações de todo o país e foi constituída formalmente a Plataforma Nacional de Autorrepresentantes, que conta neste momento com 15 membros, que representam 235 autorrepresentantes.
Foram eleitos os membros do grupo dinamizador da Plataforma, numa eleição que contou com 6 candidatos. Os escolhidos por votação (uma pessoa um voto) foram o Albino Silva, a Carla Rodrigues e o João Pereira.

A plataforma irá ter um sítio internet e uma página de Facebook, para melhor interagir com os seus associados e com a comunidade em geral, que serão brevemente divulgados.

Para contactar o Grupo Dinamizador ou para pedir informações adicionais sobre o funcionamento da Plataforma envie um email para pnar@fenacerci.pt

Projeto Empreendedorismo 9

O projeto e9 tem como grande objetivo, por meio a realização de diferentes ações subsequenciais, habilitar os quadros dirigentes das Cooperativas de Solidariedade Social que a Federação representa de conhecimentos e estratégias de gestão que permitam apostar na sustentabilidade organizacional bem como conceder-lhes características inovadoras por forma a se diferenciarem com princípios de qualidade num mercado cada vez mais concorrencial. Neste sentido, pretende numa primeira fase (F1) realizar atividades de índole mais participativa consubstanciando-se em intercâmbios interorganizacionais de curta duração, numa segunda fase (F2) em ações de índole mais construtiva por meio da criação de um guia com a descrição das principais características de um dirigente empreendedor e proativo (criação de um grupo de trabalho para o efeito) e numa terceira fase (F3) de índole prática sobre a partilha de todos os achados com os profissionais de primeira linha e de intervenção direta através da realização de um encontro nacional.

 

Com a realização das atividades que a seguir se apresentam pretende-se promover diferentes espaços privilegiados de aquisição e transferência/ partilha de conhecimentos/ metodologias de trabalho entre dirigentes associativos em primeira instância e junto do restante quadro de recursos humanos das organizações envolvidas. A aposta num plano de trabalho balizado em três momentos distintos permite a dinamização de espaços reflexivos e de trabalho sobre práticas e políticas de apoio à pessoa com deficiência.

 

Fase 1 – Intercâmbios

O objetivo específico desta atividade centra-se na necessidade de fomentar a transferência de conhecimentos e o estabelecimento de parcerias de trabalho interorganizacional entre organizações congéneres e de representação nacional, assente numa abordagem transnacional (nível ibérico) a qual atualmente se reveste de importância acrescida num quadro de constrangimentos económicos e novos desafios e oportunidades em termos sociais.

Terá como principais destinatários um pequeno grupo de 10 dirigentes, oriundos das cooperativas de solidariedade social associadas da Federação, os quais serão objeto de um processo de pré seleção cumprindo um conjunto de requisitos, a saber: representatividade nacional, igualdade de género, membros de direção com funções executivas e/ou diretivas, vasto conhecimento sobre a área de intervenção da deficiência. Findo o processo de seleção aos participantes será remetido um convite à sua participação.

Será igualmente realizado um protocolo de colaboração entre a Federação e os elementos participantes na atividade, do qual constará uma serie de informações importantes para a realização da atividade e dos objetivos que se pretende alcançar. Deterá informação sobre a designação das entidades envolvidas, os termos de aceitação (direitos e deveres de ambas as partes) para o desenvolvimento da atividade e duração da mesma. Esta atividade poderá vir a ser desenvolvida no decorrer de dois dias consecutivos de trabalho, durante os quais se realizarão as seguintes atividades, a saber: essão de acolhimento e duas sessões de trabalho sobre gestão organizacional, metodologias/ estratégias de intervenção e outras que demonstrem ser igualmente pertinentes para a atuação futura das organizações. Por forma a avaliar o impacto da presente ação será aplicado a todos os participantes um questionário de avaliação de satisfação. Será posteriormente realizado um relatório com as principais ilações tiradas dos dados apurados.

 

Fase 2 – Guia para um Dirigente Empreendedor

O principal objetivo desta fase é construção de um guia que congregue em primeira análise uma reflexão profunda sobre a intervenção levada a cabo pelas organizações prestadoras de serviços a pessoas com deficiência intelectual e suas famílias, assim como os desafios com que estas entidades se podem confrontar devido às mudanças conjunturais em desenvolvimento e uma descrição das principais características adstritas a um dirigente empreendedor e proactivo. Terá como principais destinatários o mesmo grupo pré-selecionado da atividade anterior explanada, envolvendo de forma mais significativa todos os elementos na construção e definição dos centeúdos do referido guia. Para a realização da atividade serão realizadas reuniões de trabalho presenciais e virtuais recorrendo as novas tecnologias. O presente guia será construído tendo em vista sua a disseminação alargada no universo de cooperativas de solidariedade social representadas pelas Federação e irá materializar-se numa versão impressa e numa outra digital. Será objeto de apresentação no decorrer da fase 3.

 

Fase 3 – Encontro Nacional 

O Projeto e9 culminará com a realização de um encontro nacional que tem como principal objetivo disseminar de forma o mais abrangente possível as metodologias/ experiências recolhidas com a participação nas atividades anteriormente descritas recorrendo a dinâmicas próprias para o efeito e para que promovam um espaço de formação/ reflexão/ aprofundamento de temáticas conjuntas e pluridisciplinares com o restante quadros de recursos humanos das organizações participantes. Terá como principais destinatários dirigentes e profissionais de intervenção direta oriundos das organizações representadas pela Federação. Será enviado a todas as organizações um ofício convite apelando à sua participação. O Encontro nacional poderá ter uma duração de dois dias consecutivos, no norte do país, durante os quais se realizarão uma serie de atividades, a saber: sessões plenárias de apresentação das metodologias de trabalho a adotar e de discussão conjunta dos principais resultados dos trabalhos realizados; sessões plenárias com intervenções de fundo e dinamizadas por oradores chave sobre áreas/temas que demonstrem ser pertinentes para a atuação futura das organizações; sessões de trabalho em grupo que versem especificamente os resultados as ações anteriormente realizadas e momentos culturais e de convívio. Estima-se a presença de uma centena e meia de participantes, entre oradores, dinamizadores, dirigentes e profissionais de intervenção direta. Para o evento encontra-se pensada a aplicação de diferentes metodologias de trabalho. Por forma a avaliar o impacto da presente ação será desenhado e aplicado a todos os participantes um questionário de avaliação de satisfação. Será posteriormente realizado um relatório com as principais ilações tiradas dos dados apurados.

 

Com a realização do presente projeto, ambiciona a Federação promover espaços privilegiados de aquisição e transferência/ partilha de conhecimentos/ metodologias de trabalho entre dirigentes associativos em primeira instância e junto do restante quadro de recursos humanos das organizações envolvidas. A aposta num plano de trabalho balizado por três momentos distintos permite a dinamização de momentos reflexivos e de trabalho sobre as práticas e as políticas de apoio à pessoa com deficiência.

Projeto Capacitar para Dirigir

A FENACERCI, na qualidade de representante institucional das cooperativas de solidariedade social e reconhecendo que a atual conjetura sócio económica apresenta verdadeiros desafios à sustentabilidade das intervenções por estas desenvolvidas, desenhou o Projeto Capacitar para Dirigir cofinanciado pelo Programa de Financiamento a Projetos pelo INR, IP.

O Projeto Capacitar para Dirigir assenta numa perspetiva de atuação integrada e visa contribuir para a qualidade dos serviços prestados por parte das organizações da área da deficiência e reabilitação. Pretende, acima de tudo, dotar os seus quadros dirigentes de conhecimento, ferramentas e metodologias que permitam melhorar o desempenho organizacional, bem como, melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência e suas famílias, por meio da disponibilização de um serviço que prime pela qualidade, profissionalismo e inovação.

Assenta, igualmente, numa filosofia de atuação que conjuga diferentes momentos de trabalho que se complementam e servem de despoletadores de estratégias de atuação conjunta. Estão previstas quatro oficinas descentralizadas dedicadas a temas específicos (novos públicos alvo: contextos desafiantes, prestação de serviços: educação e formação, promoção da vida independente, prestação de serviços e intervenção na deficiência grave e profunda) recorrendo a metodologias de trabalho dinâmicas e interventivas por parte dos participantes.

Culminará com a realização do Encontro Nacional de Dirigentes das Cooperativas de Solidariedade Social que, e em parceria com a CERCIVAR, pretende por um lado, promover uma discussão mais alargada e rica sobre os resultados das oficinas e por outro, consensualizar estratégias comuns de atuação futura.

 

Encontro Nacional De Dirigentes das Cooperativas de Solidariedade Social

Dias 13, 14 e 15 de Novembro – Ovar

 

A FENACERCI, no âmbito do Projeto Capacitar para Dirigir (cofinanciado pelo Programa de Financiamento a Projetos pelo INR, IP), promove mais uma edição do Encontro Nacional de Dirigentes das Cooperativas de Solidariedade Social, em parceria com a CERCIVAR.

 

O Projeto Capacitar para Dirigir assenta numa perspetiva de atuação integrada e visa contribuir para a qualidade dos serviços prestados por parte das organizações da área da deficiência e reabilitação. Pretende acima de tudo dotar os seus dirigentes de conhecimento, ferramentas e metodologias que permitam melhorar o desempenho organizacional, bem como, melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência e suas famílias, por meio da disponibilização de um serviço que prime pela qualidade, profissionalismo e inovação. Com a realização do presente Encontro pretende-se desenvolver uma reflexão alargada que traga para a discussão dos temas em causa mais diversidade e conhecimento por forma a conceder-lhes igualmente uma maior consistência e subscrição conjunta de metodologias de trabalho e resultados.

 

Para conhecer o programa e aceder à Ficha de Inscrição clique aqui.

Projeto Capacitar para a Cidadania

Projeto Capacitar para a Cidadaniaprojeto Capacitar para a Cidadania foi um projeto cofinanciado pelo “Programa de Financiamento a Projetos pelo INR, I. P.” que pretendeu desenvolver competências de cidadania e de liderança em pessoas com deficiência intelectual. O projeto desenvolveu  e testou um currículo para a cidadania, identificou barreiras à participação e à autorrepresentação e ainda um grupo de líderes. Neste projeto participaram 3 associadas da FENACERCI: a CERCILISBOA, o CECD e a CERCICA. Foi desenvolvida uma imagem gráfica para o projeto, em que sobressaem a interdependência entre a capacitação e a participação cidadã e a necessidade de adaptar, construir e formar para promover a real inclusão das pessoas com deficiência intelectual na sociedade. As cores remetem para a entidade promotora mas também para a identidade nacional.

 

O currículo compreende 9 módulos e está estruturado para cerca de 40 horas de formação.

Módulo 0 - Falamos de quê? , é um modulo de introdução aos temas da deficiência intelectual, autodeterminação e autorrepresentação;

Módulo 1 - Eu e os outros, é um módulo que explora o autoconceito e como é que este interfere na forma como nos relacionamos;

Módulo 2 - Posso falar por mim mesmo/a, é um módulo que explora os diferentes estilos de comunicação e demonstra a importância da comunicação assertiva;

Módulo 3 - Sou cidadão/ã, explora as noções de direitos e deveres e o conceito de cidadania;

Módulo 4 - Posso escolher!, explora a importância da escolha em várias áreas da nossa vida, bem como a construção desta competência;

Módulo 5 - Eu decido!, explora a construção dos processos de decisão e de todas as suas etapas;

Módulo 6 - O caminho passo a passo, explora a importância do planeamento e capacita para a definição, implementação e avaliação de objetivos;

Módulo 7 - Ser líder - Prepara para agir, explorando o perfil do líder e as competências necessárias à liderança;

Módulo 8 - Sou autorrepresentante, explora as competências necessárias a uma autorrepresentação eficaz, quer individual quer de grupo.

Estes módulos foram testados e validados por 27 jovens com deficiência intelectual, que neste momento replicam nas suas organizações a formação recebida, dando início a uma formação em cascata.

Cada módulo é composto por um Guia para o dinamizador/a, diversos cartões de atividades, um Guião de conteúdos e uma apresentação em PowerPoint. Para além deste material, o projeto deu também origem a uma brochura digital, com os estado da arte relativamente à implementação da autorrepresentação nas organizações e com algumas recomendações.

Os materiais do projeto foram agregados numa pasta, contendo os cartões e os guias para o dinamizador em formato papel e uma pen usb com todos os materiais em formato digital. Sendo estas em número limitado, será distribuída uma pasta por associada da FENACERCI, podendo ser requisitada uma segunda por email para smarques@fenacerci.pt. A satisfação destes pedidos será feita por ordem de chegada, até ao limite do stock existente.

 

Todos os materiais estão disponíveis para descarregar aqui:

Como usar - Orientações de utilização

Eu Conto - Brochura Digital

Módulo 0

Módulo 1

Módulo 2

Módulo 3

Módulo 4

Módulo 5

Módulo 6

Módulo 7

Módulo 8

Atividade de Capacitação para a Liderança - 5 a 7 de novembro, Bucelas

De 5 a 7 de novembro decorreu em Bucelas a atividade de capacitação para a liderança, parte integrante do projeto Capacitar para a Cidadania. Durante 3 dias, 7 pessoas com deficiência intelectual puseram à prova o que aprenderam até agora nos módulos formativos do projeto e experimentaram na primeira pessoa os desafios da liderança e da construção de uma equipa.

O balanço da atividade foi bastante positivo, com os participantes a reconhecerem que saem da atividade mais capazes de liderar e de promover a autorrepresentação nas suas organizações e a nível nacional. Com uma componente lúdica acentuada, esta atividade permitiu um trabalho focado nas componentes de liderança, fomentando o pensamento estratégico e crítico, a colaboração, a motivação, a comunicação eficaz e assertiva, e a inspiração.

Photo Photo Photo Photo Photo Photo Photo
Photo Thumb
Photo Thumb
Photo Thumb
Photo Thumb
Photo Thumb
Photo Thumb
Photo Thumb

Projeto (Des)Envelhecer Com Qualidade

O Projeto (Des)Envelhecer Com Qualidade – Um referencial de Formação para Prestadores de Cuidados foi um projeto que procurou dar continuidade ao que foi desenvolvido em 2012 com o cofinanciamento do INR, IP do qual resultou um Referencial de Formação para Prestadores de Cuidados a pessoas idosas com deficiência, procurando desta forma, e por via das ferramentas criadas anteriormente (Módulos de Formação Específica), elevar não só a capacitação das organizações, mas sobretudo, dos profissionais que desempenham a função de Prestadores de Cuidados, visando a promoção de mais bem-estar e qualidade de vida das pessoas idosas com deficiência intelectual e/ou multideficiência.

 

Reconhecendo que ser Prestador de Cuidados no contexto da Deficiência Intelectual e/ou Multideficiência é uma tarefa exigente, cujo papel deve ser reconhecido e valorizado, uma vez que são estes profissionais que estão mais próximos nos cuidados a estas pessoas e que este, deve ter competências profissionais que lhe permita resolver problemas específicos, procurou-se não só proceder à validação do Referencial de Formação dirigido a prestadores de cuidados por via do desenvolvimento do curso de formação que decorreu em Lisboa entre setembro e dezembro de 2014, como construir um produto final que entendemos como uma mais-valia na medida em que reflete por completo, o trabalho desenvolvido com e por estes prestadores de cuidados, convictos de que por via dos muitos contributos que deram e que decorrem da sua experiência profissional, enfocam a realidade do seu trabalho podendo inclusive, ajudar a promover ajustamentos de funcionamento dentro das organizações, que poderão facilitar o desempenho desta função no dia-a-dia.

 

Registo infográfico 1. Projeto (Des) envelhecer_Para um Referencial da Função de Prestador de cuidados de Pessoas Idosas com Deficiência e/ou Multideficiência _ Faça aqui o Download

 

Registo Infográfico 2. Projeto (Des) envelhecer_Para um Referencial da Função de Prestador de cuidados de Pessoas Idosas com Deficiência e/ou Multideficiência: o contexto e a estratégia organizacional devem favorecer… _Faça aqui o Download

O Projeto (Des)Envelhecer Com Qualidade foi um projeto cofinanciado pelo Programa de Financiamento a Projetos pelo INR, IP.  cujo objetivo foi colmatar um conjunto de necessidades das associadas da FENACERCI relativamente a aspetos significativos da vida da pessoa com deficiência onde são expectáveis novas necessidades relacionadas com o processo de envelhecimento tais como: saúde; condições de vida e qualidade de vida; atividades de lazer; trabalho; condições de habitação/tipo de residência e redes de suporte, entre outras.

Este projeto permitiu ainda desenvolver um referencial de formação destinado a prestadores de cuidados  e profissionais de ação direta) e que integra 10 módulos de formação, a saber:

Módulo 1- Envelhecimento e Deficiência: uma abordagem multidisciplinar;

Módulo 2- Qualidade de vida no processo de envelhecimento: um olhar sobre a deficiência intelectual

Módulo 3- Planear para uma intervenção de qualidade: a importância do Plano Individual de Intervenção

Módulo 4- Saúde da Pessoa Idosa: prevenção de problemas

Módulo 5-Estimulação psicomotora e sensorial no idoso;

Módulo 6 -Estratégias de atuação geriátrica na pessoa idosa;

Módulo 7- A importância da função do prestador de cuidados: dificuldades e preocupações

Módulo 8- Maus tratos a pessoas idosas;

Módulo 9- Práticas organizacionais: a importância da ética e deontologia na prestação de cuidados a pessoas idosas com deficiência;

Módulo 10- A animação como processo de reabilitação individual e coletiva

Este referencial procura, consolidar uma resposta formativa integrada, dirigida a profissionais da área social, saúde e reabilitação que desempenham funções de primeira linha ao nível da intervenção junto de pessoas idosas com deficiência intelectual, nomeadamente, monitores de centros de atividades ocupacionais e auxiliares de ação direta, sendo que reconhecendo a sua importância, a FENACERCI decidiu apresentar nova candidatura ao INR, candidatura esta que foi aprovada, para poder desenvolver, a título experimental, o Curso de Formação na Área do Envelhecimento que integra precisamente, estes 10 módulos de formação que irão decorrer entre setembro e novembro de 2014, em Lisboa.

Assim, o Projeto Des)envelhecer com Qualidade – Um Referencial de Formação para Prestadores de Cuidados integra os seguintes princípios fundamentais: Alínea a) do Artigo 3º da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com deficiência, na medida em que o produto resultante terá impacto ao nível da liberdade individual e autonomia das Pessoas com Deficiência e Artigo 10º -Princípio da globalidade e Artigo 11º - Princípio da qualidade da Lei de Bases, na medida em que a qualificação dos prestadores de cuidados terá um impacto direto na qualidade e no tipo de serviços prestados.

 

Pretende-se que este Referencial seja integrado no Catálogo Nacional de Qualificações a médio prazo. Os módulos validados serão posteriormente disponibilizados ao grande público, integrando a oferta formativa do Núcleo de Formação da FENACERCI.

 

CRONOGRAMA DO CURSO DE FORMAÇÃO

Ação de divulgação/sensibilizaçãoPara visualizar as fotos da ação de divulgação/sensibilização que decorreu nas instalações da FENACERCI clique aqui.

Chegou ao Fim o Curso de Formação desenvolvido no âmbito do Projeto (Des)Envelhecer com Qualidade!

O curso de Formação destinado a prestadores de cuidados  cofinanciado pelo Programa de Financiamento a Projetos pelo INR, IP  que decorreu entre setembro e novembro, terminou ontem com uma ação de trabalho final cujos resultados constituirão o produto final do projeto. Queremos agradecer a todas as Organizações que participaram por via da presença dos seus técnicos de intervenção direta. Agradecemos também o enorme empenho de todos/as os formandos que tornaram este curso, um espaço de partilha de conhecimento e de experiências importantes não só para todos os que desempenham a função de prestador de cuidados, mas também para os formadores que colaboraram na formação e para a própria Federação.

Um bem Haja.

Um Obrigado pelo vosso envolvimento! Partilhamos alguns sorrisos captados nesta última sessão de trabalho!

Ação de divulgação/sensibilizaçãoPara visualizar as fotos da sessão de Trabalho que decorreu nas instalações da FENACERCI
clique aqui.

Projeto GID: Género, Igualdade, Direitos e Deficiência

Em 2013, a FENACERCI desenvolveu o projeto GID: Género, Igualdade, Direitos e Deficiência, com o apoio do INR, I.P. Com este projeto, pretendemos apelar à consciencialização social, política e interventiva para a problemática da igualdade de género (IG) e da deficiência, procurando promover a inclusão e a capacitação da população com deficiência intelectual (DI) em igualdade de oportunidades com os demais cidadãos.

Pretendemos ainda contribuir para a reflexão e conhecimento acerca da problemática da DI associada às questões de género em Portugal; promover a igualdade de direitos, oportunidades e acessibilidade de homens e mulheres com DI nos diferentes domínios de exercício pleno da cidadania; combater os estereótipos de género associados à problemática da DI; co-responsabilizar as famílias/significativos, entidades de âmbito político e social, organizações prestadoras de serviços, comunidade e sociedade em geral para a promoção da capacitação de homens e mulheres com DI na área laboral, cultural, social e política em igualdade de oportunidades e por último, contribuir para a inclusão e integração de homens e mulheres com DI em consonância com o preconizado nos articulados legais que enquadram os direitos e o princípio da igualdade de género.

 

O produto e resultados do projeto estão disponíveis na página Publicações | Fenacerci deste sitio web.